sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O rompimento do prefeito e do vice em Coelho Neto, só enfraquece o projeto de Flavio Dino no município.

Está vindo mais um fruto amargo da chantagem que o PT, apedido de Américo de Sousa, fez com Flavio Dino, sobre as eleições em Coelho Neto.
O rompimento dos dois ainda não foi oficializado, mas já aconteceu. A pergunta é: vai ser contornado como as outras vezes? 

É o rompimento do prefeito Américo de Sousa, PT, com o vice-prefeito Antônio Pires, do PC do B.
Flávio Dino chantageado em Coelho Neto, foi obrigado a declarar de muitas formas que só tinha um palanque no município, o de Américo de Sousa. Para agradar “os americanos” Flávio Dino desconheceu totalmente o candidato tucano Luis Serra, que era de seu grupo politico.

Acontece que agora Américo é o prefeito mais rejeitado da região. Recentemente recebeu uma sonora vaia em Praça Pública por ocasião das festividades do aniversario da cidade dia 31, de outubro.  Atualmente se o prefeito e o vice-prefeito juntos se tornam um palanque fraco para a reeleição de Flávio Dino, imagina dividido.  

A classe politica que seguiu Luis Serra ainda não absorveu a postura de per Flávio Dino a favor de Américo como se fosse um mero cabo eleitoral caminhando nas ruas, quando veio aqui.

Parte dos “Serranos” já decidiu que vão de Maura Jorge, sendo que outros se articulam para defender o nome de Roberto Rocha, e a outra fatia está em silêncio.

Enquanto isso, Márcia e Bacelar com Soliney Silva vão de Roseana Sarney, prometendo ser o maior grupo de oposição a Flávio Dino, arrebanhando milhares de votos, para a filha de Sarney que sempre foi à queridinha de Coelho Neto.

Partindo deste principio é que a estratégia de Flávio Dino nas eleições do ano passado em Coelho Neto, não lhe foi favorável lhe causando embaraços para a sua reeleição.

  




Nenhum comentário:

Postar um comentário