quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Acusado de duplo homicídio é condenado a 34 anos de prisão

Caso JOAMAN: Acusado de duplo homicídio em Coelho Neto é condenado a 34 anos de prisão


O julgamento que durou mais de treze horas, realizado nesta terça-feira (05), no FORUM DE JUSTIÇA da Cidade de Coelho Neto, levou o Réu, José Oscar Azevedo da Silva, vulgo “Oscar”, a 34 anos de reclusão em regime fechado, pela morte de sua esposa Antônia Gomes da Silva (popularmente conhecida como Toinha da Joaman) e do caseiro José Adalmir da Silva, ambos assassinados na manhã do dia 08 de julho de 2014, na residência do casal, localizada na Rua Deputado Raimundo Bacelar, no centro da cidade de Coelho Neto.

O Tribunal do Júri foi presidido pela juíza, Dra. Karla Jeane Mattos. O Promotor de Justiça Dr. André Luís Lopes, que mais uma vez sustentou a denúncia oferecida pelo Ministério Público. Em Plenário, o Ministério Público pediu a condenação do réu nos termos da pronúncia. A defesa do acusado, por sua vez, pleiteou a sua absolvição alegando tese de legitima defesa, bem como rogou, ainda, o afastamento das qualificadoras.

Em votação secreta, o Júri Popular reconheceu que o acusado praticou os homicídios, reconheceu à qualificadora e não absolveu o réu.

Assim, em conformidade com a decisão soberana e constitucional dos jurados, a juíza Dra. Karla Jeane (Presidente da Sessão) sentenciou José Oscar Azevedo da Silva à pena de 34 anos de reclusão, em regime fechado. O réu não poderá recorrer em liberdade. O Júri Popular foi formado por 07 pessoas, sendo 06 mulheres e 01 homem.

O réu também foi condenado a pagar uma indenização de R$ 30.00 (Trinta Mil Reais) para a ex-sogra, mãe de Toinha da Joaman, e 1/3 do salário mínimo pelos danos causados a ela, já que a mesma dependia financeiramente da filha que foi assassinada.

Após o julgamento, José Oscar foi transferido para o presidio da cidade de Caxias, por Agentes Penitenciários do Maranhão SEAP.


FOTOS: Reprodução
FONTE: Portal Coelho Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário